30 de maio de 2014

NOVA ESPIGA


OLIVEIRA azeite e paz, MALMEQUER ouro e prata, PAPOILA amor e vida, 
ESPIGA (trigo ou cevada) pão e abundância, ALECRIM saúde

"As águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam".
Lembro-me de andar na escola primária e sair de manhã com a professora e os outros meninos para percorrer os campos e apanhar flores silvestres para fazer a Espiga. Não sei porquê, desde que vim viver para Lisboa, em 2008 ou 2009, criou-se o hábito de ter sempre a Espiga em casa, pendurada atrás da porta e de pernas para o ar. Este ano não falhámos: fui ao Rato de propósito à procura de alguém a vender Espigas. Encontrei duas ciganas muito jeitosas e aprumadas e disse-lhes: "Quero o melhor ramo de Espiga que aí tiver, para oferecer a um rapaz." Elas ficaram logo todas sorridentes e com um ar muito cúmplice, de ciganas, apanharam um ramo qualquer e perguntaram: "Pode ser este?". Quando olhei para a banca vi logo que não havia ramos melhores nem piores e aceitei o escolhido. Quando cheguei a casa ainda tive que acrescentar o alecrim. 
Pois bem, este ano, como no anterior, teremos abundância, alegria, saúde e sorte, graças à Espiga. A tradição da Espiga é pagã, mas como todas as tradições pagãs, foi atropelada por um feriado religioso. A original celebra a Primavera, a natureza, as colheitas e comemorava-se com grandes festivais por todo o mediterrâneo. 
Quando cheguei a casa retirei a Espiga do ano passado, que estava pendurada atrás da porta, substituí pela nova e para concluir o ritual enviei ao Manel a fotografia da Espiga via sms (afinal estamos no séc. XXI).

28 de maio de 2014


O que eu mais gosto que os meus pais me tragam da terra: chá de hortelã-pimenta. Também gosto das batatas, das cebolas e dos kumquats, mas o chá de hortelã-pimenta quase mata as saudades. E este ramo trazia uma joaninha (que escapou por uma unha negra da água a ferver e agora passou a viver no estendal).


POSTS EM ATRASO :: 4


Para acabar com esta coisa dos posts em atraso: finalmente o Kit Sardinha! 
O Kit Sardinha faz parte dos posts em atraso porque o lançamento aconteceu na semana das mudanças de casa. Como é intrínseco ao alinhamento das minhas estrelas, estas coisas acontecem, e têm que acontecer, sempre ao mesmo tempo. Eventos importantes vêm aos pares. No mínimo. 
Já tinha aqui falado do Sabonete Lima Limão do Por Ti Perco a Cabeça, fiquei muito orgulhosa de ter participado nessa obra prima, mas na noite em que escrevi sobre o assunto faltaram-me as forças para escrever também que o dito cujo faz parte do Kit Sardinha. Este kit maravilhoso é muito bom para levar debaixo do braço para qualquer sardinhada: tem fósforos para acender as brasas, guardanapos para comer sardinhas com as mãos, e claro, o sabonete para no fim eliminar os vestígios. Eu desenhei os manjericos, as espinhas, as canecas de cerveja, essas coisas que aparecem na caixa :) Aqui podem encomendar paletes de kits e sabonetes.

A COMPRAR LIVROS NA LOJA DO CIDADÃO


No meio da semana esquizofrénica, decidi ir alterar a morada do cartão do cidadão à loja do cidadão mais próxima. Como tinha o número de atendimento 127 e ainda só tinham atendido 30 pessoas, achei melhor ir à Bertrand ver livros. Quando saí de lá tinha gasto mais dinheiro do que podia, a compra foi "O complexo de Portnoy" - leitura a juntar agora à Guerra dos Tronos e à História do Rock&Roll (estagnados por falta de tempo).
Quando regressei à loja do cidadão passado uma hora, ainda só ia no número 49, de maneira que tirei a manhã para comprar um livro. Espero bem que valha a pena, senão alguém vai pagar muito caro por isto.

24 de maio de 2014

POSTS EM ATRASO :: 3









Todas as fotografias sacadas do PTPC, autoria do Luís Duarte

Esta é a parte em que o cosmos me compensa por não ter ganho o concurso das sardinhas: o Por Ti Perco a Cabeça decidiu lançar um sabonete de Lima Limão para a época da sardinhada. Mais propriamente um sabonete para eliminar todo e qualquer odor a sardinha das mãos. E cheira ao gelado Fizz - não é espectacular? É muito espectacular, garanto eu. Fiquei toda contente e a explodir de vaidade por ter feito a embalagem para este exemplar único, que é um sabonete completamente orientado para a sardinhada. Não sei como, mas o Por Ti Perco a Cabeça conseguiu juntar coisas tão opostas como o glamour da Castelbel e o pitoresco de uma sardinhada de Verão num só elemento e arrasou com a ideia. 
A sardinha é a rainha deste projecto e grita à freguesa o pregão "com Lima Limão lave a sardinha da mão". Portanto, analisando as coisas, não ganhei, mas ganhei ainda mais. Pimbaa! Ahahaha! Toda a gente está proibida de dizer coisas abaixo de "maravilhoso", "sublime", "portentoso", "formidável" e "encantador". (já nem estou a ver bem as letras, tenho que me ir deitar urgentemente). To be continued….

POSTS EM ATRASO :: 2



Tinha prometido que publicaria as minhas propostas-de-sardinha-que-iam-ganhar-o-concurso-da-Egeac. Ficaram aquém…fiquei com um desgosto enorme. Nesse dia estava sozinha em casa e jantei uma lata de sardinhas picantes no pão…foi deprimente. Qualquer das formas passo a explicar o conceito. A sardinha 1 é básica, receitas só de sardinhas escritas num quadro preto. A sardinha 2 é inspirada nas barraquinhas da praia. Depois de ver as sardinhas vencedoras não fiquei raivosa nem escrevi comentários invejosos no Facebook (esta coisa das sardinhas gera sempre muita celeuma), e achei que eram plenamente merecedoras. Não vi as 8000 concorrentes, mas gostei das que ganharam. A minha favorita é a Sardine Orchestra, uma orquestra de sardinhas a tocar a sua própria marcha fúnebre. A ideia é linda e a execução acompanha ao som da música. Adorava ilustrar assim! Depois de ver isto decidi que tenho que passar muito mais (muito, muito mais) horas a ilustrar, e talvez para o ano possa ganhar. 


POSTS EM ATRASO :: 1


As portas da sala da antiga casa e a vida dentro de caixotes frágeis. 
Ou a vida frágil dentro de caixotes. 
Ok, a fragilidade não interessa nada agora.

Ora bem, nem sei bem por onde começar! Mas estou a aproveitar que são 00h e ainda estou à espera para jantar (tenho uma bôla no forno há 1 hora) para actualizar a minha vida online. Tenho que começar por justificar tão prolongado desaparecimento da blogosfera: a família mudou de residência. Finalmente! Portanto para além de ter ficado sem internet durante algum tempo, estamos a viver em regime cigano há 15 dias. Literalmente no meio de um labirinto castanho de caixas de cartão e com um kit de sobrevivência que contém escova de dentes e pijama. Está a ser divertido porque apesar do esforço para identificar o conteúdo das caixas, há coisas que se eclipsam - como é o caso do corta-unhas. Para aguçar a piada da história a Zolita decidiu começar a andar à séria nesta semana, de maneira que ganhou o poder de mexer em tudo, tudo, tudo o que a rodeia. Sarapinta de divisão em divisão à caça de coisas para investigar e hoje apareceu-me na sala com ar triunfante e de tesoura em riste. Como é lógico isto obriga-me a passar 100% do tempo atrás da madame e também me deixa menos tempo para fazer tudo.

O que vai deixar saudades:

> infinitamente a Madragôa. A Madragôa foi a minha oportunidade de continuar a ser uma miúda do campo, mesmo vivendo na cidade. É o meu bairro do coração em Lisboa. Já não estava lá mesmo no núcleo, mas era como se estivesse porque vivia muito perto.

> as divisões grandes da casa

> sair e ir ao Chiado ou à Bica a pé em 12 minutos

> ter a margem do rio Tejo à porta

> os jacarandás em flor

> as pessoas de Santos-o-Velho, de todas as raças e de todas as cores

12 de maio de 2014

FIM DE SEMANA EM SEGUNDOS








Fotos Mexicola :: All rights reserved

Sou obrigada a fazer este post em segundos porque ando com tanta coisa para fazer que não sobra tempo para blogar. E blogar também ajuda a descontrair! Para além disso preciso de tempo para os patins e para o surf além de tudo o resto e nem isso tenho conseguido... Patins por estrear, fato de surf por estrear…deuses do tempo livre, por favor olhem cá para baixo e zelem por esta alma assoberbada de coisas para fazer. Vá lá, preciso de uma chance…irra! (Apesar do desabafo, o que me ocupa as horas é um projecto grande e bom. Falo dele quando tiver tempo de fazer posts dignos.) Entretanto a Zolita domina acordes na guitarra eléctrica. Um ano e é isto! :)

PRENDA SALVAJE


Ontem fui surpreendida por uma prenda de Natal atrasada. Deve ser das prendas mais sui generis que recebi até hoje. Não é por estarmos em Maio, é pela harmonia entre os elementos. Isto inspira qualquer pessoa: uma lata de atum Ramirez, uma embalagem de arroz Le Chef Atlantic categoria Salvaje, e um par de raquetes de praia. As prendas com capacidade de nos fazer rir são as melhores. Obrigada Tito!