30 de janeiro de 2015

CHERRY COLA


Detesto o nome desta banda (não sei se é bimbo ou se dá a volta), detesto a capa do álbum, não gosto muito da pinta do gajo que toca, mas adoro esta música e hoje estive a ouvir e a dançar com a punk zola. Por causa da música o blog quase se chamava Cherry Cola em vez de Mexicola.

ENCONTREI-ME NESTA ILUSTRAÇÃO


Ultimamente tenho-me identificado muito em coisas deste tipo. Estarei com uma crise de sentimentus vulgaris?

NEURAAA

Adoro esta particularidade que o Inverno traz, de todos termos os estendais de arames do chinês armados dentro de casa. Potencia bastante o feng shui e a harmonia da casa, é mais um forte elemento decorativo, dá um jeitaço do caraças para circular, enfim, é um sem fim de vantagens.

SEM CULPAS



Como estou super desportista posso comer à vontade. Ainda tentei convidar uma pessoa para o lanche, mas ela não atendeu o telefone... E agora? Faço chantilly para acompanhar o chocolate negro?

29 de janeiro de 2015

Gosto muito quando nos videos de exercício físico o instrutor diz com frequência: "continue sempre a inspirar e a expirar, sem parar!" ... o que será que aconteceria se antes ele ordenasse "pare de respirar durante este exercício".
(Tenho que admitir para mim mesma que com esta conversinha estou só a tentar adiar os abdominais do dia. Raios.)

WORDS OF WISDOM

Há uns 6 meses li num livro de um famoso pediatra americano que nos primeiros anos de vida de um bebé era melhor descontrair um pouco em relação à limpeza da casa. É por isso que agora quando abro uma gaveta da cozinha e encontro tudo cheio de migalhas de pão começo a cantar aquela música dos Beatles que se chama Let it Be. 
Let it be, let it be, let it be, let it be, whisper words of wisdom, let it beeeeee.

28 de janeiro de 2015

QUEM É QUE BEBIA CERVEJA AFINAL?


Finalmente li. Muito rápido. Rápido demais, mas mal podia aguentar para saber o que é que ia acontecer à vida da Rosa. Vale bem a pena. Não ler rápido, mas o livro em si. Quero dizer, leiam se puderem. 

27 de janeiro de 2015

SE CALHAR ISTO É QUE SÃO DIAS COR-DE-ROSA




Não sei se houve uma mudança no alinhamento planetário, ou se foi uma epifania, mas nestas duas últimas semanas começou tudo a andar. Ela é arranjar o cabelo, ela é fazer tratamentos às unhas e à pele, ela é fazer planos diários de abdominais, ela é correr, ela é tornar-se sócia da biblioteca, ela é trabalhar, ela é pôr as coisas a funcionar, ela é marcar consultas, enfim, está tudo em movimento por estes lados. Chamem-lhe o que quiserem, chamem-lhe "a Primavera está a chegar", ou chamem-lhe "movimento das pessoas que só cuidam de si próprias quando o sol aparece", o que interessa é que está a resultar. Vou aproveitar.

A AQUECER IDEIAS


Porque tenho um gorro novo completamente genial e cheio de carisma, daqueles únicos feitos pelas mãos que sabem. A autora foi a minha tia Lourditas, que está a pensar produzir às edições limitadas e vender, exportar, etc., etc., com a ajuda da Marta. Ainda não têm sítio online, mas quando existir publico por aqui, porque não há nada como coisas tugas, não é verdade? É. Abertas as encomendas.

22 de janeiro de 2015

SÓ MAIS UM BOCADINHO


Vou vender a alma ao diabo para cantar assim na próxima vida. =)

A DESCOMPRIMIR



Esta miúda é uma bomba de atitude.

ELA É PUNK, MAS MAIS EM CASA (sos semana horribilis)

Aqui com atitude "sou muita querida"

Vou tentar não dramatizar. A semana não está a ser fácil, mas espero já ter passado o momento mais turbulento. A punk Zola não tem facilitado com as birras e birretas e quando um de nós está doente, o outro tem que se aguentar à bomboca. Pois bem, ontem a birra começou na escola, porque não levei a chucha. Depois alastrou-se para o carro e tentou-se suavizar as coisas com promessas de passeio e bolos. Mas não foi suficiente. Após umas voltas de carro a tentar ignorar o berreiro, ficou decidido que o melhor era ficar de castigo. Anulou-se o bolo e rumámos em direcção a casa com banda sonora de excepcional qualidade - gritos, para ser mais específica. Ficou decidida uma pena leve, 5 minutos no berço, só para perceber que não é com fitas que se conquistam as coisas. Ficou no berço com a chupeta, muito zangada e a gritar ainda mais e assim que virámos as costas, passaram no máximo 10 segundos, não tem mais nada: um mortal encarpado e estatelou-se no chão. Só ouvi o pai dizer: és uma grande maluca, não és? Adivinhei logo o que é que se tinha passado, mas esperei pela confirmação: "-Ela atirou-se do berço." (nem quis imaginar as 1000 maneiras diferentes com que se podia ter magoado, a começar na cabeça e a acabar na coluna) É assim, a minha filha ainda não tem dois anos, mas não admite castigos. Eu até percebo, tudo pela liberdade. Só que quando chego à escola e estão no recreio grande, ela está geralmente agarrada à saia das educadoras, o que me leva a concluir que ela é punk, mas mais em casa. E pronto, se as minhas noites já eram agitadas com viagens ao berço, agora ficaram ainda melhores, a imaginar a possibilidade de um atiranço se demorarmos mais de 30 segundos a chegar. É tudo um jogo psicológico. Esta noite levantei-me 10 vezes e hoje de manhã comecei com balde de café, só assim para restaurar do abalo.

14 de janeiro de 2015

MANIA DE SER SAUDÁVEL

Ilustração Little Doodles

Angústia - meia tablete de chocolate
Stress - vários bombons de chocolate recheados de caramelo (antes e depois das refeições)
Tristeza - colher de mel caseiro
Suores frios - tostas com Philadelfia
Sentir que se é parva - uma mão cheia de amendoins picantes e um figo seco
Não ter a certeza de nada - tâmaras
Privação de sono e birras - café, chá preto e chocolate
Fazer bosta - o resto da tablete de chocolate
Palpitações - mais mel (é melhor)
Nervoso miudinho - iogurte grego com amêndoas
Receio - pastel de nata com o café

Há dias assim.
Fumar simplificava as coisas.

13 de janeiro de 2015

DE AVENTAL


Eu e a Zola cozinhámos juntas pela segunda vez: pizza de cogumelos. Ela fartou-se de comer milho congelado.


12 de janeiro de 2015

PRIMEIRA LIÇÃO DE 2015: APRENDER A SALTAR



A punk Zola está com uma grande ansiedade para aprender a saltar, mas levantar os dois pés do chão ao mesmo tempo é difícil, exige treino e força de vontade. Na minha opinião, há uma coisa que ela devia aprender antes, por ser mais importante e necessário. Chama-se dormir a noite toda (sim, ainda).

10 de janeiro de 2015

FUCK THE BOX


Os meus neurónios estão de fim-de-semana. Mesmo assim já me irritei com uma notícia sobre a vida no Congo, artigos sobre omnívoros, vegetarianos e veganos e diversas ideias portuguesas sobre #somos e #não somos charlie. É nestes momentos que decido engolir a minha opinião com um bocadinho de sal e pimenta. Humanidade: ainda assim tenho esperança em ti. Vou para a minha casca, amanhã é outro dia. Um grande bem-haja. (E esta coisa do Congo é mesmo uma grande merda).


7 de janeiro de 2015

LIBERDADE DE EXPRESSÃO, SEMPRE

via instagram #ana_lalaland

Este blog nunca trata de actualidade, porque apesar de já ter trabalhado num jornal, nos dias que correm estou sempre desactualizada. Contudo, hoje é impossível contornar, porque andei angustiada todo o dia. Há alguns anos que trabalho directamente com a imprensa, seja diária ou não. Não sou cartonista mas também desenho. Pensar que acontece esta barbaridade por causa de um desenho deixa-me o mundo de pernas para o ar.

As melhores respostas aqui.


ESTE PAÍS NÃO É PARA O FRIO


Portugal é demasiado pobre para o frio polar. Os portugueses não têm dinheiro para andar bem vestidos, quentinhos, sem bater o dente. Não têm dinheiro para isolar as casas e pôr vidros duplos. Não têm dinheiro para o aquecimento. Podíamos passar a ser um país de clima tropical, bem mais adequado à nossa economia. E não venham as histórias sobre a agricultura, porque isto continua como no tempo do Eça ("a agricultura aqui (em Portugal) é a arte de assistir impassível ao trabalho da natureza"). Além disso podemos sempre cultivar mangas.

6 de janeiro de 2015

VIAGEM AO PASSADO

Hoje, pela primeira vez na vida, fui cantar as Janeiras. Verdade, verdadinha. Fui convocada pela creche da punk Zola (que está cada vez mais punk e o cabelo já me começa a cair) para ajudar a acompanhar os meninos da sala dos dois anos enquanto cantavam as Janeiras rua fora. Fomos com as pandeiretas a mais do que um café, a uma loja, a uma oficina de chocolates e à PSP. Os Srs. agentes foram fofinhos e deram aos meninos bolas de sabão (com a marca da PSP, atenção) mas o mais emocionante de tudo é ver a transformação na cara das pessoas, que estão maldispostas a tomar um café antes do trabalho, ou maldispostas a dizer mal da vida atrás do balcão, e que de repente, têm uma epifania e ficam com um ar angélico, bem-disposto e sorridente. Alguns só não vieram atrás de nós cantar as Janeiras porque tinham que ir trabalhar. Depois da birra que tive que aturar esta manhã também fiquei bem mais feliz, confesso.

4 de janeiro de 2015

ANO NOVO....TUDO NOVO!


Ano novo, imagem nova. Estava a ficar cansada daquele header, por isso contratei-me a mim própria e tratei do assunto durante o fim-de-semana. Agora que já está fresco e fofo, espero que o rumo do blog acompanhe a evolução visual (que ficou, obviamente, muito melhor. Mas nesse aspecto nem é preciso dizer nada). Comecei estas mudanças no blog, mas tenciono continuar em mim própria e por aí, mundo fora, a espalhar logotipos novos, ilustrações novas, enfim, a mudar o mundo para melhor.
 (ihihihih estou com a confiança em alta. I'm so vaaaain, I probably think this post is about meeee)


EFECTIVAMENTE




Por vezes tentamos ser tão diferentes, tão diferentes que damos a volta e ficamos iguais.

MELHORES SÍTIOS PARA ESTAR


Era tão bom que no Inverno pudéssemos simplesmente dizer "passo"! Como nos jogos.

3 de janeiro de 2015

5 PROJECTOS PARA 2015



Tinha que fazer isto, claro, não há volta a dar. Mesmo que seja piroso, muito batido e antiquado. Na verdade já não me lembro das resoluções do ano passado, mas sei o que fiz durante o ano.

2014: Selecciona-se sempre o que é bom e positivo (surfar, patinar...), mesmo assim tenho presente que o ano foi dureza. Pouco descanso nocturno e consequentemente alguma rabugice. Sempre com os trocos contados (e consequentemente alguma rabugice mais) e uma rotina muito cerrada (e consequentemente ainda mais rabugice e falta de paciência). Houve sempre consciência para respirar fundo e ganhar ainda mais força. Agora temos uma super couraça de resistência.
Resumo: 2014 foi o ano de todas as couraças. 

2015: a ideia é traçar uma estratégia. Nem todos os objectivos são imediatos - pelo menos um (a viagem de uma vida) - é a longo prazo. E precisa de dedicação. Para além de mapas vai ser preciso estudar um bocado. Não sei se algum dia se chegará a realizar porque é preciso determinação e sei que não me sobra muito tempo livre para ela. Logo se vê. É uma coisa que pode acontecer daqui a 10 anos, há tempo.

Continuo de baixo para cima - a ideia de esvaziar gavetas começou o ano passado. Quando chegámos à casa nova o roupeiro era menos de metade do anterior. Em vez de comprarmos outro roupeiro decidi começar a ver-me livre de roupa e o processo continua a decorrer, lentamente. Quando compro uma coisa nova tiro três ou quatro antigas. O contentor da Cáritas agradece.

A aventura criativa é simples: são projectos, ideias na gaveta. Queria aproveitar este ano para abrir a gaveta.

Trabalho de graça. Parece palerma, e é. Salvo raras excepções não relacionadas com trabalho, não farei trabalho à borla. Para um designer a frase "desenrasca-me aí um boneco" ou "são só umas alterações" é frequente, e nós cedemos. Só que este é o meu trabalho e eu preciso de receber para pagar as contas, como um canalizador, uma cabeleireira, um enfermeiro, é um trabalho como outro qualquer. Há situações diferentes, em que a pessoa está a pedir uma coisa e a ideia dela não é lucrar com o nosso desenho, aí faço pro buono da melhor vontade, se estiver disponível. Para fins lucrativos a história é diferente.

Dormir, desenhar e ler mais. Ainda posso acrescentar continuar a aprender a surfar, a patinar. Tenho esperança que nesta casa se durma mais e melhor. Para desenhar e ler é preciso tempo, mas gostava de me inscrever na biblioteca e acho que 2015 é o ano.

Resumo: Sei que algumas destas coisas vão acontecer de certeza, outras não. O mais importante de tudo é tentar e conseguir ficar descontraída. Esta lista é um clichê, mas que se lixe, se não houver projectos não saímos da cepa torta e mais que nunca, a ideia feita de que o português reclama sentado à sombra da bananeira é para ser contrariada. 
Nós não somos nada preguiçosos, pá!

Outros balanços (ou coisa parecida) que li por aí
e/ou oportunidade de bisbilhotar outros blogs:

Vida Madrasta
Boas intenções
Mabíssima
Viver todos os dias
O blog do desassossego
A casinha da boneca
Afonso, o cão de loiça
Pipoco mais salgado