23 de setembro de 2015

CÃES LADRAM E AS CARAVANAS PASSAM

Estas coisas terríveis que se estão a passar agora na Europa deixam-me completamente deprimida. As situações de crise expõem opiniões doentias que preferia julgar que não existem.
Os portugueses organizaram a Aylan Kurdi Caravan e conseguiram que chegasse ao destino. Quando vou ler as notícias fico contente, mas quando tenho a infeliz ideia de perder alguns minutos a ler os comentários de outros leitores arrependo-me logo. Há pessoas que não queriam que aquela ajuda tivesse saído de Portugal, porque cá também há pessoas a precisar, então decidem minar a internet com ódio e desfazer o que outros fizeram com boa intenção.
É verdade que cá também há quem precise de ajuda, mas as pessoas que apoiaram aquela ideia, também ajudam cá. Eu não contribuí com nada para a Aylan Kurdi Caravan porque tinha acabado de enviar as minhas coisas para a Ajuda de Berço e não tive tempo para mais. Mas fiquei mesmo com pena. Acho a ideia muito boa. O que duvido, é que quem perde tempo com toda aquela azia, consiga ter uma atitude altruísta no que quer que seja. Passam uma imagem tão negativa que dão a sensação que não ajudam cá nem em lado nenhum. Organizem outra caravana! A caravana de ajuda nacional. Uma coisa não anula outra. É uma atitude mais positiva e seguramente vai ter milhares de contribuições. É tempo mais bem gasto e de certeza não têm tantos pesadelos à noite.
Odeio haters.

22 de setembro de 2015

DEMASIADO CONECTADA



A aparência da nossa secretária deveria ser inversamente proporcional à organização da nossa agenda (ehehe, risinho nervoso). Mas neste caso tenho que admitir que a confusão se alastrou e eu ainda não descobri como é que isto me foi acontecer a mim, uma pessoa tão racional, com o cérebro tão orientado por arquivos, cuja limpeza e funcionalidade se assemelham a...sei lá, uma biblioteca digital da Nasa.
Entretanto a punk Zola já percebeu a importância destes cabos na nossa vida (para alguns claramente mais importantes que o ar, o sol ou o mar) e tenta ligar o teclado à motherboard dos sonhos, vulgo berço. Um dia ela vai conseguir perceber como é que essa ligação acontece.
Nota mental: enrolar já estes cabos todos e separar os gadgets por categoria. Nunca mais inventam tudo num.

18 de setembro de 2015

Ontem, enquanto bebericava água de um copo, a punk Zola disse-me "mamã, isto é vinho, eu gosto é de vinho". Ia-me engasgando com um bocado de esparguete.


17 de setembro de 2015

TAMBÉM GOSTO DESTA CAIXA


Eu e a punk Zola já forrámos a caixa para a escola. Estava indecisa, não sabia de deveria pintar ou forrar, até que encontrei uma agenda do ano passado da revista Pais e Filhos e decidi aproveitar as ilustrações da Lucy Pepper, que serviam de separador de mês para mês, para forrar a caixa. Tive que cortar algumas porque a tarefa foi mais difícil do que parecia e o resultado final ficou tipo manta de retalhos. No fim pus-lhe um grande laçarote e ofereci-a à Zolita, que fez uma birra atómica quando percebeu que a caixa ia ficar na creche. Tive que a trazer aos berros da escola (sem a caixa) e explicar-lhe 800 vezes que os outros meninos também iam deixar a sua caixa na escola, para ela ter paciência porque a educadora precisava daquilo para guardar as chupetas, etc. Quando cheguei a casa ela ainda estava a choramingar e fiquei extremamente cansada. End of story.

GOSTO DESTA CAIXA


Feito! Já fui aos Ctt enviar a minha embalagem solidária. Realmente isto é mesmo canja de galinha e é tudo gratuito. Juntei uma série de biberões antigos, bodys e pijamas da punk Zola, alguns brinquedos que ela não usa, assim como casacos, lençóis e outras coisas que às vezes estão nas gavetas durante anos, e coloquei tudo nestas caixas. Uma foi para a Ajuda de Berço e outra para a Aldeias de Crianças SOS. O senhor dos correios disse-me que não sabe o que se passa, mas que depois de dois anos com as caixas completamente encostadas à box, voltou um boom de pedidos das embalagens solidárias, e todo contente deixou escapar que "só ontem enviei 15". Saí dos Ctt a sentir-me mais leve.


14 de setembro de 2015

Everybody's pinned you, but nobody cares


OS MELHORES BLOGS


O Bloglovin' é uma plataforma que reúne blogs de todo o mundo e permite aos seguidores ler todos os blogues que gostam de uma só vez. Ou melhor, aceder aos links em menos tempo e não queimar horas a procurar os blogs nos quais queremos passar os olhos na diagonal.
Hoje recebi um post do Bloglovin' a publicar os Bloglovin' Awards, os blogs que eles consideram melhores, por entre as centenas daquela comunidade. Estive a picar e os meus favoritos são:

Melhor Blog DiY, já tinha falado aqui, é mesmo tempo bem perdido: A Beautiful Mess

Melhor Blog de Família, novo para mim: Romy and the Bunnies

Melhor Blog de Comida, também desconhecia: Manger

Breakthrough Fashion Blogger do Ano (nem consigo traduzir): Thrifts and Threads
Na verdade ainda não encontrei um blog de moda que tenha totalmente a minha cara, acho que não existe, porque as bloggers de moda são todas muito certinhas e eu prefiro coisas mais alternativas. Estou sempre à espera do dia em que apareça, sei que ainda não é o Thrifts and Threads, mas fiquei curiosa. (se alguém souber de um blog de moda diferente de todos os outros agradeço a dica).

Melhor Fotografia: Park & Cube (na expectativa)

Best Life Improvement Blog (eu acho que a tradução disto seria Melhor Blog de Auto-ajuda, mas não posso fazer isso porque eu gosto bastante deste blog, que já sigo há algum tempo e onde costumo ler dicas para bloggers e freelancers): Career Girl Daily

E ainda outros dois que gostei, Melhor Blog de Casas, Apartment Therapy, e o Melhor Conteúdo Escrito, The Coveteur.

A lista completa aqui.

Estes blogs são todos super profissionais, são daquelas poucas pessoas no mundo que têm o privilégio de receber um salário para fazerem um blog, o que é uma coisa completamente espectacular e que existe pouco em Portugal. Eles não vêm para aqui dizer "ai ai ai, a minha filha não dorme, as minhas olheiras, blablabla" eles vêm dizer "hoje estou espectacular, aprendam como ser como eu em 7 passos essenciais". Não é nacional mas é bom, por isso toca a queimar pestanas (só à noite, antes de ir para a cama). Vivam os blogs, yeaaah!


AI, QUE DOR DE CABEÇA SEGUNDA-FEIRA


Porquê? Porquê? Segunda chávena de café.

13 de setembro de 2015

CORTAR OU NÃO CORTAR, EIS A QUESTÃO






Ontem eu e a punk Zola passamos a tarde chuvosa a dançar na sala. Ela aprendeu a cantar o Rebel Rebel do David Bowie e queimou muitas calorias a dançar freneticamente o Aha Shake Heartbreak dos Kings of Leon (com uma coreografia mais extravagante que a do video. Entravam vários assistentes de dança, um panda de peluche e uma coelha). A banda não é a minha preferida mas este álbum é excepcional. Eles vieram cá há uns tempos mas eu não fui ver porque eles vieram tocar Sex on Fire, que não tem nada a ver. Entretanto vou ganhar coragem pra fazer um corte de cabelo muito 70's como o do vocalista.


11 de setembro de 2015

OSCAR WILDE É WILD


Não aprecio muito teatro. É verdade, confesso. Sempre achei que o teatro é mais interessante de se fazer do que de assistir. Se calhar porque vi demasiados monólogos. Para mim o teatro é mais emocionante na versão camarote-caracterização-figurinos-cenário do que na versão compra-bilhete-e-assiste-à-peça. Mas Oscar Wilde é demasiado bom a encher o ar de sarcasmos para se perder "Uma mulher sem importância" no Teatro Maria Matos, por isso ide, eles são bons no que fazem, é fácil gostar.

LÁ DE ONDE EU VENHO

Chamamos açafate a um cesto baixo para pôr roupa.
Dizemos sapatilhas em vez de ténis (e nem pensar em dizer um téni, dois ténis).
Chamamos arrufada ao pão de deus.
Uma sonsa é uma pessoa que age como uma mosca-morta.
Em casa dos meus avós, uma tiborna é uma fatia de pão quente com azeite e açúcar.
E quando éramos miúdos, se nos portávamos mal, éramos rabinos, e a minha avó também chamava ao meu irmão judeu (coisas de cristãos). Em casa dos meus avós "em podendo" queria dizer "se puderes".
Lá de onde eu venho, onde o diabo perdeu as botas,
uma dondoca é uma mulher com dinheiro que não faz nada. Nem em casa.
Uma afiadeira é um afia-lápis.
Um palmier recheado é uma jangada.
Em casa dos meus pais sempre dissemos botins em vez de galochas.
Um coêlho, um joêlho ou uma orêlha têm mesmo o som de um é.
Por aqui já ouvi dizer miaufa e mangas cavas, mas eu digo miúfa e mangas à cava.
E na minha aldeia ouvi muitas vezes as pessoas dizerem "a nha mãe" que quer dizer "a minha mãe".
Se isto é tudo muito estranho, o pão recesso, ou o estrugido do norte são ainda mais remotos,
e por isso ganham encanto.
Quando cheguei a Lisboa comi muita arrufada cheia de açúcar quando queria mesmo um pão de deus, ou uma arrufada das minhas. É que um bocadinho mais ao centro, a arrufada tem côco em cima.
Gosto muito de continuar a chamar às coisas os nomes que aprendi em pequena, mas às vezes para me fazer entender tenho que fazer substituições. Ainda assim quando vou passar fins de semana ao centro o meu irmão diz que eu já venho com tiques de linguagem alfacinha, que é o que ele chama "falar à tia".

10 de setembro de 2015

VERÃO, POR FAVOR, NÃO VÁS

Gabor Szilasi, Motorcyclists at Lake Balaton, 1954


TODAS AS MANHÃS

Hoje de manhã acordei às 6h (e estava num colchão no chão).
Hoje de manhã custou muuuuuito sair de casa.
Hoje de manhã a punk Zola fez várias birras de intensidade média/grande.
Hoje de manhã pensei que afinal ainda está calor.
Hoje de manhã vi um intelectual a fazer cavalinhos de bike.
Hoje de manhã fui desrespeitada na passadeira.
Hoje de manhã não corri para passar no verde.
Hoje de manhã vi condutores a discutir.
Hoje de manhã levei bolo às educadoras, como nos anos 70 (sou tão fixe!).
Hoje de manhã vi uma mulher fingir que olhava para uma montra,
mas na verdade estava insegura da sua aparência no reflexo.
Hoje de manhã tenho umas olheiras até aos joelhos.
Hoje de manhã preciso de um café triplo.
Hoje de manhã vi uma mulher falar muito alto sobre os direitos das mulheres.
Hoje de manhã as tiazocas olharam muito para mim porque estou com um vestido
chique mas tenho sapatilhas nos pés.
Hoje de manhã arrumei o pão no frigorífico e a manteiga na gaveta.
Hoje de manhã preparei uma embalagem para a Ajuda de Berço.
Hoje de manhã achei que tomar um café sem falar com ninguém é quase um momento espiritual.
Hoje de manhã pensei que faltam cebolas.
Hoje de manhã percebi que estou frita por falta de tempo.
Hoje de manhã lembrei-me que me esqueci de ver o debate dos líderes (ainda bem).
Hoje de manhã ninguém está satisfeito com o que os líderes disseram no debate mas
ninguém tem coragem de votar noutro candidato.
Hoje de manhã vou ouvir Pixies.
Hoje de manhã, hoje de manhã, hoje de manhã. Está difícil. Bom dia.

7 de setembro de 2015

MAMÃ, NÃO VENHAS COM ESSA

Depois de um quarto de hora a fazer os 15kg da punk Zola voar ao colo com umas asas de Carnaval nas costas, chegou a hora de jantar, e decidi aproveitar o deslumbramento. Asas nas costas da cadeira e colher de sopa suspensa:

- Come a sopa. As fadas adoram sopa.

E é hora de ir para a cama. Sabes que tens uma cama de fadas?

- Não mamã. É AL-MO-Fadas. Cama de almofadas!

E um olhar pfff-ainda-por-cima-tenho-que-te-ensinar.
Quase me cai a colher da mão.

3 de setembro de 2015

Os líderes europeus são muito bons a cobrar dívidas e a controlar taxas de juros e a conduzir países à bancarrota, mas na hora de resolverem coisas reais, que saem fora do papel, na hora de ajudarem as pessoas, levam as mãos à cabeça e é o caos total. É mesmo preciso esfregarem-vos as fotos na cara? Já não aguento mais ver crianças a caírem de barcos e a ficarem pelo caminho, é tudo demasiado trágico para continuarem a olhar para os relatórios e a assobiar para o lado.
Não fazem nada de jeito, raios. Incompetentes de merda !#! Escrevo isto, mas continuo com raiva sufocada cá dentro. (não consegui arranjar título para o post porque estou transtornada com tanta passividade)

2 de setembro de 2015

O FIM QUE É UM COMEÇO



                       

                    



Acabei! Há uns tempos atrás decidi começar a fazer uma imagem para mim e escrevi qualquer coisa sobre isso aqui. Mas a situação arrastou-se meses (claro), e como não conseguia identificar-me com nada do que estava a fazer continuei nula. Só que é uma vergonha trabalhar com imagens e na altura de me apresentar não ter um cartão com um logotipo e os meus contactos, de maneira que a o mal estar começou a gritar-me aos ouvidos e a dizer que tinha que resolver isto depressa.

Nunca imaginei que fazer uma imagem para mim fosse tão difícil. Uma vez a blogger Gostamos Disto comentou-me que fazer um logo para nós próprios é tão difícil como fazer um auto-retrato, e tinha muita razão. 

Depois de tentar vários caminhos finalmente posso anunciar que o meu logotipo profissional nasceu algures em Agosto, é do signo Leão. E que estou satisfeita. 
Esta imagem é uma homenagem aos meus olhos, porque nos últimos meses tive muitos problemas oftalmológicos, que me valeram várias idas às urgências. Foi então que, quando perguntei em casa se havia alguma coisa que me representasse bem, me responderam "os óculos". Não os uso sempre mas quanto mais o tempo avança mais tenho a certeza que estarão sempre por perto, daí que tudo fez sentido. A solução era mais simples do que parecia e esteve sempre em cima do meu nariz, só que eu não conseguia vê-la. E abracadabra, agora sim, estou pronta para começar. 

(e sim, o meu nome é mesmo Rita Pereira (aka Mexicola)


1 de setembro de 2015

SABEM O QUE FIZ O VERÃO PASSADO?




Editei um livro de fotografias para o Manuel Portugal Fotografia sobre o Scram Africa que me deu muito gozo. O Scram Africa acontece anualmente e este ano foi a travessia de Marrocos. Faz-se em motos vintage e ou transformadas. As fotos são tão fabulosas que dá vontade de ir também.
E este ano Mexicola? De certeza farei mais livros. Adoro fazer livros e depois agarrá-los e virar as páginas quando chegam da gráfica. Não são digitais nem estão dentro de um ecrã e essa coisa cada vez mais rara começa a ser um luxo. Quero fazer mais livros. Se alguém tiver livros para fazer pode chamar-me.




Fiz embalagens de sabonetes para o Por Ti Perco a Cabeça: uma de Leite de Burra e outra de Leite de Cabra e Ervas Frescas, para juntar ao Sabonete de Lima-Limão do ano passado e fazer uma colecção de melhores sabonetes de sempre.
E este ano Mexicola? Este ano gostava de continuar a desenhar embalagens para linhas de cosmética porque gosto muito. Podia ser outra colecção para o Por Ti Perco a Cabeça, uma para a Castebel e outra para a Ach Brito. Só para falar de marcas nacionais. =) Mas claro que também estou disponível para me internacionalizar, isso nem se pergunta.



Fiz a Trevl nº7. A Trevl é uma revista para quem viaja de moto ou para quem adora viagens em moto pelo mundo, que faço em equipa. Este número tem um especial de viagem Lisboa - Pequim - Lisboa que parece fascinante. 
E este ano Mexicola? Continuarei certamente a fazer a Trevl. Gostava até de fazer mais números.


Fiz a Rev#28. E já estou à volta da 29 porque o tempo passa a voar. Costumo publicar aqui sempre que a Rev sai, não só por orgulho como também porque participo nela como designer e como pseudo-jornalista. É que contribuo para o conteúdo com a página de perfil, que é uma página sobre um ilustrador / fotógrafo de motos, e isso dá-me a desculpa para perder algum tempo a investigar coisas de artes e conhecer novos trabalhos. É claro que espero que seja interessante para os leitores da Rev e os aproxime de novos universos no mundo do motociclismo. 
E este ano Mexicola? Vou continuar a chatear o editor para a Rev passar a ser mensal.





Conheci a Lígia Silva e fiz a imagem dela. A Lígia faz life coach e é terapeuta. Fez um pedido bastante concreto porque sabia o que queria - uma imagem que a representasse. Bastava descobrir quem era a Lígia. =) Depois de avaliarmos as cartas na mesa o resultado acabou por aparecer mais rápido do que esperava. A Lígia recorria muito a fotografias e imagens de flores e o caminho acabou por se revelar sozinho. Surgiu um logo multifacetado que dá elementos para continuar a trabalhar toda a imagem da empresa da Lígia com soluções dinâmicas e variadas. 
E este ano Mexicola? Para além de continuar a trabalhar com a Lígia espero que apareçam mais pessoas com projectos interessantes e desafios pessoais que precisem de imagem. =) Trabalhar com personalidades entusiastas e aventureiras (como é sem dúvida a Lígia) é mais que um prazer.

----------

Houve mais projectos, mas são coisas que ainda não sairam para a rua, por isso vou guardar na gaveta e esperar um momento mais oportuno para mostrar.
Hoje limpei o atelier (até escovei o tapete), eliminei possíveis más energias, pus música e abri as janelas para passar o vento novo de Setembro, que espero que venha carregado de novos projectos. 

Sei que os tugas são bons profissionais, acredito mesmo nisso, por isso desejo um bom início de época para todos. Trabalhem muito e tenham carradas sucesso (e eu também, s.f.f.).